Como saber o que me fica bem?


No sábado passado, Dia da Mulher, tive a oportunidade, proporcionada pela Rita, de ir assistir a um dos seus workshops de consultoria de imagem e de me mimar um bocadinho. A Rita tem uma história curiosa. Tem formação na área de Química, tal como eu uma mulher da ciência, mas um dia ao olhar-se ao espelho percebeu que não estava feliz com o seu reflexo no espelho. Não era só uma questão de insatisfação com o seu próprio corpo, mas o achar que o seu reflexo não transmitia exactamente aquilo que ela era. E isso incomodou-a de tal forma que resolveu dar uma volta na sua vida. Contratou serviços de consultoria de imagem para si própria e percebeu que esta área a interessava cada vez mais. Daí até tirar os cursos de Consultoria de Imagem e de Maquilhagem para consultores da Blossom foi um pulo e hoje, o seu grande sonho é largar a Química para se dedicar em exclusivo à prestação de serviços nesta área, serviços estes que espera conseguir fazer chegar ao maior número de mulheres possível, e daí os seus preços low cost.

Éramos sete mulheres sentadas num recanto da Ervanária São João de Brito, ali para os lados de Alvalade. Todas com imensas dúvidas quanto ao nosso tipo de corpo, quanto ao que mais nos favoreceria ou quanto às cores que melhor nos assentariam. De início, a Rita fez uma pequena introdução sobre como as diferentes cores, padrões, brilhos, materiais, etc., poderiam disfarçar ou realçar as nossas piores ou melhores características, respectivamente. Depois disso, o workshop tornou-se muito mais personalizado. Uma a uma fomos perceber qual o nosso tipo de corpo.

Todas ajudámos nesse processo, o que tornou este momento bastante interactivo e fez com que ficássemos logo muito mais à vontade umas com as outras. A Rita, que é um amor, teve a maior das paciências, esperou que disséssemos o que achávamos primeiro e só depois dava a sua opinião (muito mais profissional, claro!). Ensinou-nos que, seja qual for o nosso tipo de corpo, a ideia é fazê-lo sempre parecer uma ampulheta (ombros e ancas com a mesma largura e cintura acentuada), por ser considerado o formato de corpo mais equilibrado. E mostrou-nos, para cada tipo de corpo, as peças que nos favoreciam e alguns truques para ‘iludirmos’ quem nos estiver a 'tirar as medidas'.

Depois disso fizémos o teste das cores. Foi mais uma altura super divertida e interactiva! Estudámos, em conjunto, quais as cores que mais favoreciam cada uma, por disfarçarem as pequenas imperfeições que tínhamos no nosso rosto. As cores que mais me favorecem são quentes, médias e luminosas.

No final de tudo isto a Rita ainda tirou, cheia de paciência e carinho, todas as dúvidas que algumas das participantes tinham quanto ao que usar num casamento, à maneira de conjugarem determinada peça, ou se uma peça de que até gostavam as favorecia ou não.

Foi uma manhã muito bem passada e foi um prazer conhecer a Rita. Tirei imensas dúvidas, percebi que o meu corpo em fase peso normal é uma (bela, cof cof) ampulheta, mas que com uns quilinhos a mais, que teimam em acumular-se no rabo e nas ancas, fica uma pequena (e amorosa!) pêra. Mas é essencial que nos aceitemos tal como somos e saibamos ‘trabalhar’ o nosso guarda-roupa em nosso próprio benefício. Depois do workshop, a Rita ainda nos enviou um mini-livro de estilo, com a compilação do nosso tipo de corpo e o que usar, e das cores que mais nos favorecem, para que possamos ficar com esta informação para a posteridade.

Não se esqueçam de visitar o site e a página de facebook da Rita e, quem sabe, não está na hora de requisitarem os seus serviços. Não só vão adorá-la, como vão sair desta experiência completamente renovadas. Uma prova disso é a própria Rita, por isso ninguém será certamente melhor que ela para vos guiar por este processo.


Posts relacionados

2 comentários

  1. É mesmo! E agora vai haver um ciclo de workshops dados pela Rita, de certeza óptimos, e com um preço ainda mais apetecível (79€). Se quiseres visita as páginas dela :) *

    ResponderEliminar