Barcelona: uma viagem com sabor agridoce


Barcelona foi uma decisão de última hora para um destino que sempre tínhamos querido conhecer. Um país latino, cheio de luz e bom tempo (nem nós imaginávamos a vaga de calor que íamos apanhar nesta altura do ano!), com pessoas calorosas, simpáticas e sempre disponíveis, e com comida mesmo boa, sem termos de nos render sempre às famosas tapas.

O antes...

Pois bem, o antes começou no sábado antes da partida, quando combinei com a Ana passarmos ali na zona da Gulbenkian porque eu queria muito visitar a Under the Cover e trazer comigo a revista Lost in Barcelona (nem eu imaginava o quanto este título podia ser literal). Mas, como o calor já apertava, não inicíamos a nossa demanda pela revista sem antes visitar o Starbucks (a Ana é viciada em Starbucks e quando vinha a Lisboa mais esporadicamente era sempre o primeiro sítio onde queria passar), onde aproveitámos para provar as novas bebidas frias, perfeitas para o verão. Não fomos muito originais, e pedimos ambas o Cold Brew Baunilha, que era delicioso e se tornou no perceiro perfeito para a nossa tarde de planos e conversas tontas, como só nós sabemos, ahahaha


E foi assim que o projecto desta viagem se começou a formar na minha cabeça, projecto esse que foi depois partilhado com o mais-que-tudo e que levou ao esboço geral da nossa viagem. Não fomos demasiado rígidos no nosso planeamento. Afinal tínhamos 6 dias para passear por Barcelona e parecia-nos suficiente para fazermos tudo com tempo e um bocadinho ao sabor do vento. 

O durante...

Uns dias depois a tão aguardada partida! Chegámos a Barcelona ainda da parte da manhã o que nos permitiu explorar bastante a cidade durante esse dia. Estava um calor imenso, mas arranjámos coragem e palmilhámos vários quilómetros da cidade, sempre acompanhados por uma garrafa de água fresquinha (o mais possível!). Foram dias de muitos risos, de muitos 'ohs' e 'ahs' de descobertas incríveis ao virar de cada esquina e que trouxeram ao de cima a pequena amante de arte (mas que não percebe nada de arte) que há em mim. É certo que não percebo - na maioria das vezes nem sei distinguir os períodos artísticos em que as obras que estou a ver se incluem -, mas sou uma pessoa que se deixa emocionar pela arte, e Barcelona foi uma cidade que me emocionou de tantas coisas tão bonitas que há para ver! E se não quisermos falar de Gaudí, podemos sempre falar de Lluís Domènech i Montaner, da Fonte Mágica de Montjuic com o seu espectáculo maravilhoso de música e luzes, que iniciou com o 'Barcelona' pelas vozes dos incríveis Freddie Mercury e Montserrat Caballé, ou do Museu Picasso que me contou a história da sua evolução enquanto artista, que eu desconhecia por completo. Foram dias cheios de experiências óptimas, de sítios bonitos visitados e de memórias que esperamos sejam eternas.


O depois...

Vá, não foi bem o depois, foi mais o final dos finais, um grand final (atentem na ironia) com a certeza de uma full Barcelona experience que, já devem conseguir adivinhar, terminou num regresso mais leve (e mais pobre) a Portugal. No final do último dia, já no lobby do hotel a organizar as coisas para regressarmos para Lisboa, dois ou três minutos chegaram para fazer desta uma viagem um pouco mais triste do que as outras. Neste intervalo de tempo - em que eu fui à casa de banho e deixei as coisas pousadas mesmo ao lado do mais-que-tudo - conseguiram tirar, sem ele dar conta de nada, a minha mochila com o meu cartão de cidadão e a máquina fotográfica com o registo de metade da nossa viagem. Embora na verdade nem tenhamos dado conta do que tinha acabado de acontecer até eu dar por falta da mala, não sei se conseguem imaginar o pânico que senti quando percebi que não tinha documento de identificação para usar no regresso a Portugal. Felizmente a TAP, companhia com a qual voámos, no caso de portugueses que estejam a regressar a Portugal, aceita a denúncia feita na polícia (em que damos os dados do nosso Cartão de Cidadão) como comprovativo de identidade para podermos embarcar. Pelo menos no nosso caso aceitou, não sei se é sempre assim ou não, mas fiquei muito mais aliviada por saber que ia poder voltar para casa tranquilamente, depois de todo o stress que tinha sido a última hora. É que, se depois de ser assaltada ainda tivesse de perder o vôo de regresso ao conforto do meu lar, acho que me tinha dado uma coisinha má...

E a vocês já aconteceu alguma coisa deste género? Se sim, como é que resolveram? Acho que é importante partilharmos estas experiências porque nunca se sabe se não podem ajudar alguém num momento de aperto como este.

O rescaldo...

Bom, tendo em conta o sucedido, vou partilhar na mesma os sítios que visitei, que adorei e que registei na altura para vos mostrar. Porque embora os registos de muitos deles se tenham perdido, as memórias estão cá, e acho que consigo encontrar forma de vos mostrar o melhor desta cidade, mesmo que as fotos estejam perdidas para sempre. O que acham?


Posts relacionados

6 comentários

  1. Quem me dera ir a Barcelona!
    Bem, que grande imprevisto que te aconteceu no regresso! Felizmente, tudo se resolveu, se não, a esta hora, ainda estarias lá a resolver essa confusão.
    Estou curiosa para ler esses posts :).
    Beijinhos,
    Cherry
    Blog: Life of Cherry

    ResponderEliminar
  2. Aiiii Cat :( só de ler fiquei com um aperto no coração. Se há coisa que tenho pânico nas minhas viagens é de perder documentos, avião e as recordações fotográficas. Caramba... Felizmente nunca me aconteceu. A tua máquina tinha seguro? Soube de alguns casos em que as pessoas foram roubadas nas férias e depois conseguiram ir buscar o valor da máquina ao seguro. Salvo erro, com um documento comprovativo da polícia local e denuncia do roubo.

    Em todo o caso, é como dizes... as recordações ficam sempre na memória e fico à espera desse relatos sobre Barcelona :D <3

    ResponderEliminar
  3. Oh Cat, que caraças...mesmo no fim :( Confesso que esse foi o meu maior medo quando lá fui, andava sempre agarrada a tudo como uma doida, felizmente safei-me! Mas olha, podia ser pior, ao menos a TAP já sabe o que a casa gasta lol pensamento positivo, que há coisas piores na vida e as memórias, essas, não se perdem! However, abraço solidário daqui!

    Jiji

    ResponderEliminar
  4. Oh Catarina, que azar! Felizmente nunca me aconteceu nada assim, mas imagino que seja o pânico absoluto. E Barcelona, tal como dizes, é uma cidade encantadora... pena que tenha terminado assim :\

    Aonde (não) estou

    ResponderEliminar
  5. Já me aconteceu ter o B.I (na altura) caducado e só dar conta no check in. Really! Tive que fazer um de emergência e só embarcar no voo da noite perdendo assim um dia de viagem. No final, tal como a ti, correu tudo bem. Barcelona é incrível, adorei conhecer e vou adorar ler as tuas recordações! bjs

    ResponderEliminar
  6. Que pena ter terminado assim. Ah, mas Barcelona não deixa de ser maravilhosa! :)

    ResponderEliminar