Kinkaku-ji, o Pavilhão Dourado

pavilhao-dourado-quioto-japao-daydreams-blog

Uma das coisas que fiz nesta viagem foi tentar não pesquisar demasiado. Eu gosto sempre de saber ao que vou e de organizar os nossos dias de viagem com algum pormenor, para conseguirmos aproveitar ao máximo o tempo que temos. Mas desta vez foi diferente. Desta vez quisemos ir mais ao sabor do vento. Sabíamos, claro, a maior parte das coisas que queríamos visitar, mas não pesquisámos exaustivamente, nem fizemos roteiros pormenorizados.

Sinceramente, o Japão é um país que se sente e vive mais do que qualquer outro onde já tivessemos estado. Talvez por os japoneses serem tão dados à espiritualidade, não sei. Ou é isso, ou eu – que sou a control freak lá de casa – estou a começar a gostar de viajar de uma forma diferente. E afinal, não seria Quioto a cidade ideal para nos perdermos em passeios tranquilos e demorados, sem pressas nem horários forçados?

Hoje vamos até Kinkaku-ji, ou Pavilhão Dourado – ou, ainda, e oficialmente, Rokuon-ji. Quem se passeia pelas ruas naquela zona não consegue imaginar que para lá dos muros, num jardim que mal se vê se não nos chegarmos à entrada, está uma das obras de arte mais bonitas de todo o Japão. Na verdade, o Pavilhão Dourado é Património Mundial da UNESCO, e eu consigo perceber perfeitamente porquê.

Pavilhão Dourado em Quioto no JapãoPavilhão Dourado em Quioto no Japão

Todo o Templo está forrado a folha de ouro – excepto o piso térreo – e, num dia luminoso como aquele em que tivémos a sorte de o visitar, aquele brilho dourado reflete-se no Kyōko-chi, o espelho de água que o rodeia.

Antes de ser convertido num templo budista pelo seu filho após a sua morte, este edifício foi a residência da família do shogun Yoshimitsu Ashikaga. E mais! O templo foi queimado várias vezes e, já no século XX, em 1950, foi incendiado por um monge que sofria de perturbações mentais! Ninguém diria não é? Está lindo e maravilhoso, como acredito que esteve sempre!

Pavilhão Dourado em Quioto no Japão

É impossível ficar indiferente ao brilho intenso deste monumento arrebatador! Eu não conseguia parar de o fotografar, de todos os ângulos possíveis e imaginários, sempre com medo de não lhe conseguir captar a verdadeira essência. Mas, ao olhar agora para as fotografias fico com um sorriso nos lábios e penso que talvez tenha feito um bom trabalho. E vocês, o que acham?

E já repararam nas árvores das ilhas que se encontram no lago? Estão podadas como se fossem bonsai gigantes! E são sempre tratadas com o maior carinho para garantir que crescem saudáveis e frondosas, ano após ano.

Pavilhão Dourado em Quioto no Japão

Ahhh, mais um sítio para pedir desejos! Os japoneses são supersticiosos por natureza, já devem saber, e têm vários locais onde atiram moedas e pedem que os seus mais íntimos desejos se tornem realidade!

Pavilhão Dourado em Quioto no Japão

Espero que tenham gostado tanto do Pavilhão Dourado como eu! Voltava a este lugar todos os dias, se pudesse. A paz que se respira aqui é incrível, mas nada assim de tão invulgar no Japão. Olhar de novo para estas fotografias fez-me reviver toda essa tranquilidade, e não consigo evitar pensar, embora corra o risco de me repetir várias vezes ao longo desta viagem que partilho convosco, que este foi um dos locais que mais gostei de visitar no país do sol nascente.

E já viram o meu artigo sobre Harajuku, em Tóquio, no Alma de Viajante? Se não, vão lá espreitar 🙂

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

  1. Que lindo! Maravilhoso! As fotos estão fantásticas e o lugar é realmente lindo. Sim, fizeste um ótimo trabalho. É muito bom saber a história desse edifício e constatar que, apesar de ter sido queimado (algo que não fazia ideia), ele parece permanecer intacto.

    Beijinhos
    miya–world.blogspot.com.br

  2. O Japão tem o seu quê de confuso, mas só nas zonas muito comerciais, o que é óptimo porque, no resto dos sítios, é uma pasmaceira mesmo das boas! Ainda tenho muitas fotografias para partilhar, por isso espero aguçar ainda mais essa curiosidade :p beijinhos*

  3. É, não é Inês? Eu nem queria acreditar que era possível! Fizeram um óptimo trabalho de recuperação e este é um dos sítios mais bonitos que visitei, sem dúvida alguma 🙂 *

  4. Cat, compreendo perfeitamente! Juro que tem dias que penso converter-me ao budismo!… Agora a sério, tenho imensa vontade de explorar mais a minha paz interior, o mindfulness e a meditação. Se tiveres alguma ideia avisa :p beijinhos*

  5. Que sonho, Catarina. Literalmente! Sonho com visitar estes lugares pelo Japão há uma década. Gostei muito de ler estes teus relatos sobre esta tua viagem a Kinkaku-ji acompanhada destas fotografias bonitas!

  6. As fotografias estão simplesmente espectaculares 🙂
    O edifício é lindo, lindo de morrer.
    O Japão deve ser um países mesmo fantástico. Gostava de o visitar num futuro.