2015, vou deixar-te fluir


Este ano resolvi que não ia fazer resoluções. Uma das principais razões é o facto de, para mim, este ser um ano de algumas (talvez muitas!) mudanças, mas também um ano que começa com algumas incertezas. Uma das minhas resoluções do ano anterior foi tentar viver mais sob o lema 'um dia de cada vez' e a verdade é que o consegui melhor do que estava à espera.

Por isso, este ano, a única coisa que gostava mesmo de fazer era, finalmente, tirar a carta. De resto, tal como diz a minha querida Ana, vou deixar-me ir, deixar as coisas fluir, serem como tiverem de ser e, nos entretantos, vou explorar ideias e projectos que tenho em mente, e concentrar-me numa novidade que estou mortinha para vos contar!

Posts relacionados

4 comentários

  1. Não fazer resoluções não será já, em si mesmo, uma resolução?

    ResponderEliminar
  2. Ahahah, pode ser encarado como tal... mas no meu caso é mesmo incapacidade, não uma decisão consciente :p *

    ResponderEliminar
  3. Eu sou daquelas pessoas que adora fazer resoluções, mas até é algo recente. :)
    Acho que nunca esquecerás 2015, principalmente com tudo o que está reservado, por isso deixa lá as resoluções, também não precisas delas.
    Espero que consigas realizar tudo o que queres e... que consigas tirar a carta! Eheheh. Eu tenho-a, mas raramente lhe dou uso. :P

    ResponderEliminar
  4. Ahaha Cat, realmente 2015 reserva-me (e a nós!) imensas coisas boas, mas esta coisa da incerteza da bolsa dá cabo de mim :p por isso este ano nem sequer consigo fazer resoluções.... não tenho cabeça ;) mas a carta tem de ser, senão o homem deserda-me :p beijinhooo*

    ResponderEliminar