Flower Power



As nossas casas são feitas de pormenores. E são esses pormenores que fazem das nossas casas os nossos lares (home, not just a house). Quer seja aquele canto das fotografias, aqueles bonecos que adoramos e que comprámos numa viagem tão especial, ou aquele 'mostrador' de momentos marcantes, nossos e dos que nos são mais próximos. Eu ainda tenho de trabalhar em alguns pormenores desses na nossa casa. Não, no nosso lar. Porque a nossa casa é uma casa com vida, com mantas desalinhadas no sofá, com tapetes tortos à conta das horas de doideira do tigre que lá habita, com loiça na cozinha por lavar, com secretárias onde as pilhas de papéis se acumulam vertiginosamente. Pode não ser uma casa digna de capa de revista, mas adoro-a de paixão!

Um dos pormenores que acho que mudam as casas são as flores. Só que eu sou um pequeno desastre destruidor de flores (e plantas, no geral). Faz-me lembrar um episódio de NCIS: Los Angeles em que a personagem da Daniela Ruah diz que está chateada porque matou mais uma planta. E essa planta era um cacto. Esta sou eu, sem tirar nem pôr. Daí que tenha algumas plantas/flores (poucas) espalhadas lá por casa, mas todas artificiais (excepto uma que tenho na varanda e que, felizmente, o mais-que-tudo se lembra de regar). Não são daquelas 'obviamente' falsas e ajudam a dar um ar primaveril, e quem entra e olha para elas demora um pouco a perceber que não há vida ali.

Mas eu gostava de ser diferente, a sério que gostava! Gostava de ser como a minha mãe que planta, transplanta, cuida, e investe imenso tempo, amor e carinho a cuidar daqueles seres vivos que são também tão dependentes de nós. Que em todas as festas e jantares dados lá em casa faz um centro de mesa florido e maravilhoso. Que mantém todas as plantas/flores que tem lindas e viçosas.

Bem sei que ao comprar flores para ter em casa é apenas uma questão de tempo até elas morrerem, por isso posso sempre confortar-me com esse pensamento e começar a comprar umas flores bonitas e fresquinhas para ter em casa e, pelo menos durante uma semaninha (váaa, na melhor das hipóteses) ter a casa harmoniosa e a gritar Primavera (e este dia cinzentão bem precisa de um chamamento à real que lhe diga Spring has sprung!).






Estas sugestões deixaram-me com mais vontade de investir (dinheiro e tempo) em flores. E vocês são 'mães' extremosas e delicadas das plantas/flores que têm em casa ou, como eu, são verdadeiras plant serial killers? Seja qual for a opção, uma casa com flores fica logo outra coisa, não acham?


(Imagens via: 1,2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8 - 9 - 10 - 11,12)


Posts relacionados

4 comentários

  1. Sabias que há plantas mesmo de casa que são mais fáceis de manter? :)
    É só regar uma vez por semana e já está!! e faz muita diferença :D

    Adorei o post!!

    beijinho

    ResponderEliminar
  2. Sabia Sol, o mal é que matei duas dessas do Ikea :p sou mesmo plant serial killer :p *

    ResponderEliminar
  3. Pertencemos ao mesmo clube, porque até as que supostamente não deviam morrer, eu mato - estou a falar daquelas canas de bambú que todos dizem que morrem cá em casa porque tenho de ter um número impar na jarra (o azar é que quando vêem cá, acabei de deitar fora mais uma cana amarela e seca e daí o número par). As de plástico também lá se vão aguentando mas tirando isso mais nada sobrevive nesta casa. As flores ainda se aguentam: corto as pontas na diagonal, troco a água, deixo a água "pousar" antes de as meter na jarra, quando troco a água, corto mais um nico do caule.... Enfim, gosto muito da minha hera de plástico do Ikea!

    ResponderEliminar
  4. Ahahah Ana és igual a mim, MESMO! Assim já nem me sinto tão mal, porque está visto que isto de cuidar de plantas não é para todos :p Mas olha, com o livrinho que sugeriste nas tuas leituras de domingo, pode ser que consigamos aprender alguma coisa de jeito :) *

    ResponderEliminar