À descoberta de São Francisco #3


Mais um dia, e mais uma voltinha pela city by the bay. Hoje vamos ‘passear’ pela ciência e passar a vista pelos bairros étnicos da cidade.

E chegamos então à California Academy of Sciences. Oh, ciência, como me encantas! Ok, do centro demora-se aí uns 20-25 minutos a chegar lá de autocarro. A viagem é gira, já um bocadinho a entrar pelos subúrbios da cidade. E quando chegamos ao destino ficamos maravilhados. O edifício está num jardim muito bonito, é bem grande, e tem um telhado vivo, ou seja, cheio de plantas, todo verdinho e arranjadinho.

Lá dentro, as expectativas são claramente superadas. É preciso mapa, para nos conseguirmos organizar e decidir o que queremos fazer (há horários para certas apresentações, bem ao estilo do nosso Zoo). Mais ou menos ao centro temos uma espécie de redoma de vidro, que vai do chão até ao tecto, e que promete simular um pequeno passeio numa floresta tropical. E não é que simula mesmo? Mal entramos lá dentro o calor é grande, e muito húmido. Vemos aves exóticas e borboletas, cujas asas são maiores que a palma da minha mão, a voar livremente. Eu sou sincera, não estava particularmente feliz por ter aquela bicharada a esvoaçar mesmo por cima da minha cabeça, mas uma vez entrando, a saída só tem lugar dois andares acima, ou seja, não dá para voltar para trás. E lá fui eu, e sobrevivi! Além disso, nos dois patamares que nos separam da saída, estão representados, com um espécimen ou dois, vários animais que se dão bem nestas zonas do globo. No piso -1 temos um aquário cujas diferentes zonas representam diferentes tipos de habitat, com as espécies típicas de cada uma. Havia ainda um planetário e um project lab, onde era possível fazer algumas experiências sob a supervisão dos técnicos que lá se encontravam. De todos os que vi, o habitante mais engraçado da Academia era um aligator albino, que durante um bom bocado pensámos tratar-se apenas de um boneco.

É também nos jardins que rodeiam a Academia que se encontra o de Young Museum. Infelizmente não tivémos oportunidade de o visitar, para muita pena minha, especialmente porque na altura tinha uma exposição sobre fantástico Jean Paul Gaultier, renomado estilista e antigo director criativo da Hermès.


Quando saímos dos jardins da CAS demos de caras com um jardim japonês. Apesar de só ter visto a entrada (porque pagava-se para visitar) achei-o lindo, e tive pena de não podermos perder tempo a vê-lo, mas o tempo escasseava. 


Aquilo que também achei extremamente interessante visitar em São Francisco foram os bairros étnicos: Chinatown, Japantown e Little Italy. Chinatown está cheia de letreiros luminosos, de balões chineses ao longo das ruas, de caracteres chineses nos toldos, nas paredes, etc. É um óptimo sítio para comprar os famosos bolinhos da sorte chineses e, claro, para comer comida chinesa. Ahh, e adorei o Chinese Gate que é lindíssimo!


Japantown é muito diferente. Tem um ambiente muito mais zen, que transmite uma calma imensa. Aquilo que achei mais graça foram os sinais que eles tinham nas ruas com um origami da palavra que estava escrita em japonês e a maneira como esta devia ser pronunciada. Achei mesmo um pormenor delicioso. Além disso encontrei por lá a maior loja de bonsais que alguma vez tinha tido a oportunidade de ver. E já se anunciava o Cherry Blossom Festival, mas infelizmente só acontecia uns dias mais tarde.


Little Italy reporta um bocadinho aos filmes da máfia. Toda a zona está delimitada por candeeiros de rua com a marca da bandeira italiana. Esta é também a zona com mais clubes nocturnos (a maior parte dos quais pouco sérios, digamos assim). Mal se entra sente-se o cheiro a pasta & pizza, e dá logo vontade de comer (e quem é que resiste a um belo prato de comida italiana?). 


Em todos eles as ruas têm o nome americano, vá, e o nome na língua-mãe dos países representados. É mesmo super engraçado ver como numa só cidade se delimitam espaços nos quais ficamos rodeados por toda uma cultura diferente e que fazem parecer que, na realidade, estamos noutro país.

E então, já estão cheios de vontade de começar a poupar para irem a São Francisco?


Posts relacionados

0 comentários